O Ministério Público Federal de Goiás expediu recomendação à Defensoria Pública da União a fim de que este órgão exerças suas funções regularmente no Estado: “Não é razoável aguardar indefinidamente que a DPU  alcance a concretização de um projeto perfeito, ideal, utópico de condições de trabalho.” A consultoria jurídica e representação judicial daqueles que não tem condições de custear um advogado ainda é desempanhada no Estado com o auxílio de advogados dativos remunerados mediante honorários pagos pelo próprio Estado de Goiás.
  A Defensoria Pública do Estado de Goiás, criada pela Lei Complementar nº51/2005 ainda no segundo Governo de Marconi Perillo,  realiza concurso próximo dia 05 de dezembro para provimento de 40 vagas de Defensor no Estado sob a presidência do Procurador do Estado Ricardo Maciel Santana, professor com a expertise dos últimos disputados concursos da Procuradoria Geral do Estado. Tempos novos hão de vir para advocacia pública goiana com a instalação da Defensoria Pública do Estado.

(Correspondente em Goiás: Lucas Bevilacqua – Fonte: Diário da Manhã 20/11/2010 e http://www.institutocidades.org.br/)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *