Foi realizada no dia 3 de dezembro a cerimônia de premiação da sétima edição do Prêmio Innovare, no Salão Branco do Supremo Tribunal Federal, em Brasília. Com dois temas centrais: Justiça sem burocracia e acesso do preso à Justiça, o Innovare premiou seis práticas de estados como Paraná, Brasília, Ceará e Minas Gerais, além de entregar placas de menções honrosas, que contemplaram mais de dez estados brasileiros. As práticas inscritas foram visitadas por consultores especializados e posteriormente julgadas por notáveis do mundo jurídico e acadêmico nacional. A escolha buscou valorizar práticas que, no âmbito do tema, se revertem em benefício direto à população.
O Dr. Cesar Peluso, Presidente do Supremo Tribunal Federal e integrante da Comissão Julgadora do Prêmio Innovare, também aproveitou para falar sobre o Innovare e ressaltou a importância da revolução silenciosa que vem sendo feita para levar justiça a todas as partes do Brasil. “O Innovare se engrandece a cada ano e este é o momento de refletir sobre os anos anteriores e procurar crescer cada vez mais. Construir uma justiça rápida e eficaz é muito mais que nosso intuito, é nosso dever”, comenta o ministro. (Fonte: Instituto Innovare)
Dos três primeiros lugares na categoria Advocacia, dois foram ocupados por Advogados Públicos: o primeiro lugar pelo Procurador do Município de Marialva Bruno Grego dos Santos — que é membro do IBAP — com a prática “Transação Extrajudicial Desburocratizada no Âmbito da Administração”, e a menção honrosa para o Advogado da União Thiago Pereira Pinheiro, com a prática “Comitê Interinstitucional de Resolução Administrativa de Demandas da Saúde – CIRADS”.
Em 2010, 113 práticas foram inscritas na categoria advocacia, 87 em juiz, 48 em Ministério Público, 34 em Prêmio Especial, 33 em Defensoria Pública e 25 em Tribunal. Os vencedores foram contemplados com R$50.000,00, além der terem suas práticas disseminadas para outras regiões pela equipe difusora do Prêmio, composta por ministros, advogados renomados, juízes, promotores de justiça e diretores do Instituto. Apenas a categoria Tribunal não recebeu premiação em dinheiro.

Da esquerda para a direita: Defensora Pública da União  Luciene Strada de Oliveira (vencedora categoria Defensoria Pública), Procurador Bruno Grego dos Santos (vencedor categoria Advocacia), Juiza Federal Cíntia Menezes Brunetta (vencedora categoria Juiz Individual), Promotor de Justiça  Luciano Luz Badini Martins (vencedor categoria Ministério Público), Juiz Federal Erivaldo dos Santos (vencedor categoria Especial), Ministro Cesar Peluso, Advogado Eduardo Ribas Kruel (menção honrosa categoria Advocacia) e Desembargador Sergio Murilo Rodrigues Lemos (vencedor categoria Tribunal).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *